Dicas para visitar Viena

Viena é uma cidade lindíssima e muito turística, pelo que é imprescindível organizar a visita ao máximo. Esta viagem, como sempre, foi precedida de muita pesquisa, reservas e várias leituras de dicas e sugestões sobre a cidade. Mesmo com a nossa habitual organização, ficou uma visita por fazer, apesar de pensar que voltamos sempre aos locais que nos fascinaram, voltei dececionada comigo mesma por não ter antecipado a necessidade de me organizar para aquela atração.

  1. TRANSPORTES:

Para o centro da cidade existe um comboio expresso chamado CAT, a informação do transporte é-nos oferecida assim que saímos do avião, é muito fácil, no entanto verificámos que se formaram filas imensas para comprar os bilhetes. Nós fomos já com esses bilhetes comprados, 19€ ida e volta, adquirimos os mesmos na Booking, mas podem ser comprados pelo mesmo preço no próprio site.

CAT

Dentro da cidade optámos por andar a pé, só andámos de metro para visitar o Palácio de Schonbrunn, pagámos 8€ os dois por bilhetes ida e volta. Claro que existem passes diários ou para mais tempo que são compensatórios para quem prefere este meio de transporte, o sistema de metro é muito fácil, o símbolo para encontrar as estações é U, têm cinco linhas e 109 estações. Nós gostamos mais de visitar os locais a pé, pois as ruas e a sua movimentação também uma atração por si só. Claro que os nossos pezinhos vão bem calçados, pois houve um dia que andámos 35 km.

     2. ALOJAMENTO:

Normalmente reservamos o alojamento com alguns meses de antecedência, quando efetuámos a reserva verificámos uma diferença grande nos preços praticados noutras capitais europeias, como Paris, Londres ou Amesterdão. Os preços eram substancialmente mais baixos e com uma localização excelente. Após alguns meses os preços equiparam-se e não havia grande diferença, pelo que a reserva bastante antecipada oferece a oportunidade de ficar melhor localizado e talvez com melhores condições. Invariavelmente reservámos a nossa estadia no Booking.

      3. RESTAURANTES E REFEIÇÕES:

Viena não é uma cidade barata, e se vamos com um orçamento fixo não podemos fazer grandes aventuras. Existem muitas opções baratas e rápidas pela cidade, como é o caso das salsichas que são vendidas em quiosques espalhados pelo centro histórico, existem vários tipos e sabores, é só escolher com pão ou sem. Outra opção barata é a cadeia de fastfood Norsee, especializada em frutos do mar, tem opções muito agradáveis e preços baixos. Para gulodices também existem as inúmeras geladarias que existem pela cidade, mesmo de inverno estão abertas, assim como os chocolates que são vendidos em todas as lojas. Relativamente a restaurantes, fomos só com uma reserva para o restaurante Figlmuller, queríamos experimentar as mais famosas especialidades da cidade (Schnitzel, Goulash e salada de batata) , e após várias pesquisas e um sem número de testemunhos quanto às filas intermináveis decidimo-nos por este que é bastante turístico, mas a comida é bastante bem confecionada e muito saborosa. Fiquei muito satisfeita por tê-lo feito, pois entrámos no restaurante perante uma fila interminável de pessoas à chuva. Após esta primeira noite já não conseguimos jantar em nenhum restaurante mais tradicional, pois ou só funcionavam com reservas ou tinha filas impróprias para esfaimados. Nos tradicionais cafés também é muito difícil de entrar. Fizemos várias tentativas para entrar em algum de forma a não estarmos horas numa fila, e pareceu-me que o truque é ir logo pela manhã ou mais perto do fecho, foi o que fizemos e ficámos só uns minutos à espera. Fomos ao Sacher Café e apesar de não ter provado, de todo, o melhor bolo de chocolate do mundo, nem lá perto, a experiência foi proveitosa pelo ambiente que se vive nestes cafés, como experimentámos este já não fomos a mais nenhum para não perder tempo em filas. A maior era no Café Central que parece muito bonito.

        4. ATRAÇÕES

Antes de viajar pesquisei imenso sobre este item e apesar de existir um cartão Vienna Pass que contempla a entrada em todas as atrações da cidade, acabámos por não o comprar pois era diário e ficaria muito dispendioso para os dois. Estivemos 3 dias na cidade, o passe ficaria por 119€ cada um, achámos que não seria o mais económico para nós, pois se comprássemos as entradas antecipadamente para o que queríamos visitar, o valor seria menos dispendioso. Claro que para quem quer visitar todas as atrações o passe é muito bom, pois não é um cartão de descontos, é mesmo de entrada.

  1. Sissi Ticket – entrada sem filas no Palácio de Schonbrunn e Palácio de Hofburg (Apartamentos Imperiais e Exposição) – Preço 29€
  2. Belvedere Inferior e Superior – entrada nos dois palácios, no entanto após visita achei que somente o superior vale a pena, onde está o quadro O Beijo de Klimt. Preço 22€, se fosse somente o superior seria 15€
  3. Galeria Albertina – entrada na galeria com inúmeras exposições, até Janeiro está uma coleção de Monet que nos deixou, a mim particularmente deliciada porque adoro o pintor. Para além deste artista tem obras de Picasso, Chagall, Renoir, entre outros. Preço: 14€
  4. Igreja de S. Carlos – entrada na igreja com acesso ao elevador para ver a cúpula e os seus frescos de perto, uma experiência fantástica. Preço: 8€.
  5. Catedral de S. Estevão – existe várias formas de visita, como a visita à igreja é de entrada gratuita, optámos por subir à uma das duas torres, a mais alta que só é acessível por escadas. Preço: 6€
  6. Biblioteca Nacional – uma das mais bonitas bibliotecas do mundo – Preço: 8€.
  7. Igreja dos Capuchinhos e Cripta Imperial – A cripta é a atração, majestosa e impressionante – como visitámos no dia 2 de novembro foi de entrada gratuita, mas o preço seria 18€.

No nosso caso gastámos 87€ em entradas que é mais barato que o passe de 3 dias, mesmo se tivéssemos pago a Cripta Imperial seria 105€ em prol dos 119€ para os 3 dias, claro que o passe para dois dias eram 89€, mas talvez não conseguíssemos visitar tudo somente em dois dias, assim distribuímos as visitas pelos três dias que estivemos na cidade.

Existe outro cartão, o Vienna City Card, com acesso ilimitado aos transportes com direito ao Hop On Hop Off que dá descontos para as várias atrações, como não íamos usufruir dos transportes não nos interessou, mas pode consultar as suas condições aqui.

A visita guiada à Ópera não conseguimos fazer com grande pena nossa. Não existe venda de entradas online, os bilhetes são disponibilizados 20 minutos antes de cada visita na porta designada à entrada, pelo que é conveniente consultar o site para saber de antemão os horários das visitas que não são os mesmos todos os dias.

A organização e planificação é nossa aliada numa viagem, apesar de trabalhoso e às vezes cansativo é a melhor forma de visitar uma cidade, um país, um local, pois mesmo com tudo planeado existem sempre as surpreendentes descobertas que tornam as viagens inesquecíveis!

Para viajar, basta existir. Fernando Pessoa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s